Páginas

21 de mai de 2010

what if I don't wanna be a shoe? what if I wanna be a hat?

 Detesto gente que se mete na minha vida. Simples. Duvido que alguém goste, principalmente quando a opinião da pessoa conta tãããão pouco pra você que tudo o que ela consegue com a intromissão é te irritar. Por que você, em hipótese alguma, vai fazer o que ela acha que você deve fazer. (me perdoem, eu não consigo ignorar).
Conheço algumas pessoas assim, mas algumas são piores que as outras. Acho que a base de uma amizade está em respeitar os limites e limitações de cada um e o que o outro quer ou não fazer. Na verdade, acredito que isso seja a base de qualquer relacionamento, mas estou falando de amizade, ou da falta dela, então...
Tenho um mecanismo na minha mente que elege, quase que instantaneamente, as pessoas que eu quero ter por perto, e aquelas com quem eu prefiro manter um contato menos frequente, ou talvez nenhum contato. Pode parecer frieza, superficialidade, mas juro que não é. Só que eu sei o tipo de pessoa que me agrada ficar perto e o tipo de pessoa de quem eu quero distância. 
Tenho pavor à gente cheia de PRÉ-CONCEITOS. Pra mim uma pessoa cafona é aquela que tem uma mente tão presa e limitada que não é capaz de assimilar nenhum tipo de novidade, muito menos se adaptar ao cotidiano da vida moderna, no qual você convive com vários tipos de pessoas.
De todas as pessoas assim que eu conheço, uma se destaca da pior maneira possível. O que leva uma pessoa de 18 anos a ser tããão provinciana? Sabe aquela tia chata que você evita nos churrascos de família por que faz as perguntas mais incovenientes? Imagine uma pessoa da sua idade que é assim. 
A falta de cultura da sociedade brasileira é a grande causa da maioria desses preconceitos, na minha opinião, pelo menos. Qualquer tipo de pessoa radical é desagradável - às vezes, simplesmente por falta de informação - seja falando de religião (nunca me deixem tocar nesse assunto aqui, senão escrevo por dias!), de política, de futebol, tudo. Se a pessoa não é preparada para ouvir uma segunda opinião sobre determinado assunto ela devia ser privada do convívio social. Me incomoda tanto ver esse tipo de pessoa, principalmente quando se trata de gente da minha geração, que cresceu num 'mundo' já bem menos preconceituoso do que os nossos pais, mas que ainda assim, mantém uma mentalidade semelhante à de nossos avós quanto a muitos assuntos. 
(Ai, desculpem pela chatice, mas eu precisava muito desse desabafo. Chega num ponto em que a convivência (que é forçada) com a pessoa passa a te incomodar de forma ridícula, e você precisa achar um método de pôr tudo o que pensa pra fora de modo a evitar uma discussão com dedo apontado pra cara e tudo)

Vamos mudar de assunto.
Ontem passei o dia no hospital (YAY!). Rolou soro na veia e tudo, to me sentindo a Janis Joplin de tanta 'furada' (aidels) que tem nas minhas veias (se não entendeu a piada, joga no google. Duvido que minha colega, personagem do desabafo acima sabe quem é Janis Joplin, HAUAHAUHA, anyway)...woodstock here we go.
Mããããs isso tudo foi bacãna porque consegui terminar de ler Alice :D Gente, me apaixonei muito pela história. Ah! e vocês sabiam que o desenho da Disney não é baseado exclusivamente no conto em que ela vai ao 'País das Maravilhas'? O desenho, assim como o filme do Tim Burton se baseiam numa mistura entre os dois contos de Lewis Carrol, 'As aventuras de Alice no País das Maravilhas' e 'A casa do espelho e o que Alice encontrou por lá' (que funciona como uma continuação); por exemplo: sabe o Tweedledee e o Tweedledum? Aqueles dois gordinhos comédia do desenho (?), eles estão na
parte das aventuras dela no Espelho. A conversa com as flores e a borboletinha de pão também. É interessante de ver a genialidade dos roteiristas, que pegaram o melhor de cada conto e juntaram em um só para o filme (falo sempre do desenho, ainda não assisti o do Burton). 
Recomendo o livro, é tipo 'O pequeno príncipe', completamente worth reading.
Agora estou lendo 'O morro dos ventos uivantes'. Depois de um livro infantil super light vou me aventurar num romance que parece ser bem trágico e sofrido. ai. 
- Preciso falar um pouco de futebol:
Meu Flamengo (♥) perdeu ontem na Libertadores e eu tomei uma decisão que vai mudar minha vida: Decidi que não vou dar a mínima pra Libertadores mais. O campeonato é ridículo, os juízes são negligentes e deixam o time que tem vantagem catimbar o quanto quiser. Ontem meu time poderia e QUERIA ter feito a quantidade de gols necessária, mas alguns fatores contribuíram para que o time chileno saísse com a vitória. (tomara que perca na próxima rodada).
Isso é tudo que eu tenho pra dizer hoje. 
Beijinhos sweethearts xxx
(estou muito feliz com os comentários, pareço uma criança no Natal cada vez que leio um novo, hahaha, deixei o blog inativo por um tempo porque ninguém lia o que eu escrevia :( hahaha, mas agora dá vontade de escrever todo dia!)

4 comentários:

  1. Bru, obrigado pela visita. To seguindo :)
    Sim e sobre essa pessoinha chata q vc convive, deve ser um saco conheço uma assim tbm ¬¬'' é um porre!E sim hospital O.O, melhoras e adorei ''to me sentindo a Janis Joplin'' haha mto bom.

    :**

    ResponderExcluir
  2. Nossa,ninguém mereçe gente assim ¬¬,mas as vezes é melhor apertar o botão do "foda-se" do que ficar se preocupando a toa,essa gente nunca muda [experiência .-.]...
    Não li Alice ainda D:
    "Tô me sentindo a Janis Joplin" hauhuahauah,EURI ALTOO,Janis a base soro e não de heroína ;D,melhoras [2].

    Siim,escreva todo dia *-*,adoro ler seus posts!
    -Obrigada pelos comentários lá no blog *-*

    =*

    ResponderExcluir
  3. "no dad, I don't want you to buy me a hat!"

    somos duas, menina!
    mas a melhor coisa é a arte de ignorar. faz até bem pra pele, viu!

    ResponderExcluir
  4. oi oi oi! Obrigada pelo comentário e elogio :B Coloquei um "tutorial" no meu blog pra caso,vc queira me seguir :) beijo, sucesso com o blog! :*

    ResponderExcluir

What do you think?