Páginas

30 de mai de 2010

growing up won't bring us down...♪

Não tenho vergonha de assumir meu medo de envelhecer, ele existe e acredito que seja inevitável. Quando eu era criança lembro de querer ser adulta o mais rápido possível (ainda não me considero uma adulta completa, quando pagar todas as minhas contas passo a me considerar), mas quando você sente a aproximação de toda a responsabilidade que só tende a aumentar com o passar dos anos você começa a sonhar em voltar ao tempo em que a sua preocupação se resumia a escolher a roupa que sua Barbie vestiria no casamento com o Ken.
Li uma frase hoje que dizia o seguinte: 'Growing older is no excuse for growing up' ('Envelhecer não é desculpa para crescer', mais ou menos isso). Admito que a minha idade mental é provavelmente bem atrasada, hahahaha, sério. Mas é tão mais divertido rir de piadas idiotas do que manter uma linha de preocupação entre as sobrancelhas, vai dizer que não? É difícil evitar a busca pela felicidade nas pequenas coisas quando ela parece tão fácil de alcançar com um simples sorriso sincero.
Essa semana ouvindo a música nova do The Maine chamada 'Growing up' (de onde tirei o título do post) comecei a refletir mais do que o normal sobre quão rápido o tempo passa. Parece que era outro dia quando o papai me levava pro primeiro dia de escola. Era uma manhã fria (juro que era!) e eu não lembro de ter me sentido tão nervosa um dia como eu estava naquele (nenhum desfile no mundo se compara ao nervosismo do primeiro dia de aula da sua vida!), lembro exatamente da sala, sentei na última cadeira, abaixei a cabeça e comecei a chorar. Me sentia sozinha e desprotegida, perdida no meio daquele monte de estranhos, foi horrível na hora, mas com o tempo tudo ficou melhor. Bem melhor. Sinto tanta falta dessa época que chega doer, era tudo tão mais fácil!
Hoje, quase acabando (meio do ano que vem é quase né?) minha primeira faculdade e com quase metade da segunda cursada sinto a responsabilidade do crescer chegando. Obrigações, vontades e objetivos que são bem diferentes do que costumava ser 12 anos atrás.
A sensibilidade aumentou também. Sempre fui uma criança sensível, tinha problemas pra dormir vez ou outra por me preocupar demais com coisas sem fundamento, hoje está mais fácil dormir, mas basta um clipe do Nickelback pra fazer com que muitas lágrimas rolem, fiquei um pouco menos subjetiva, mas isso não quer dizer que tenha ficado mais objetiva, sou uma pessoa muito pensante - mas isso não quer dizer que tenha raciocínio rápido, sou aquela que vai demorar um milésimo de segundo a mais do que o necessário pra entender uma piada - basta um par de fones no ouvido e uma música melódica pra me levar pra longe, crio histórias na minha mente que poderíam compor um livro de contos. Aprecio a solidão às vezes, tem momentos em que só a nossa própria companhia pode nos ajudar, falo sozinha sim, rio sozinha, antes tinha medo de ser a última a descer as escadas de casa, detestava ser quem apagava a luz, vários monstros vinham à minha mente, frutos de uma imaginação incansável que foi alimentada por livros, principalmente uns que eram ambientados em Hogwarts, conhecem?
O tempo passou e as coisas estão mais claras agora, ou não, e eu não sei se gosto disso. Crescer parece assustador, mas quero ter certeza, um dia, de que é só mais uma aventura, e se os monstros da minha imaginação voltarem a aparecer já vi filmes, seriados e li livros suficientes para saber como espantá-los, enfim: ''we're not getting any younger, time keep passing by...it's time to move forward"

só divagando um pouco sobre a vida. xx

9 comentários:

  1. " Aprecio a solidão às vezes, tem momentos em que só a nossa própria companhia pode nos ajudar, falo sozinha sim, rio sozinha, antes tinha medo de ser a última a descer as escadas de casa, detestava ser quem apagava a luz, vários monstros vinham à minha mente, frutos de uma imaginação incansável que foi alimentada por livros, principalmente uns que eram ambientados em Hogwarts, conhecem?"
    suuuper me indentifiquei kk'

    aah, como eu queria voltar para minha infância da onde eu nunca devia ter saido hehe
    beijos.

    ResponderExcluir
  2. Amei o seu blog,tbm estou esperando pela carta de Hogwarts,hauhsuhau!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. E quando mais leio sobre você, mas acho que você está falando sobre mim. HAHA E em relação a esses tal livros ambientados em Hogwarts, como eu conheço!

    ResponderExcluir
  4. A parte que mais chamou minha atenção foi aquela em que você fala sobre idade mental. São coisas diferentes, sabe? É sempre bom manter o humor e o coração jovens, e ninguém pode criticar isso. A questão mais necessária é a maturidade, essa sim é necessária. Na vida, com as outras pessoas, com a gente mesmo.

    Gostei demais do assunto, gostei demais do texto!

    ResponderExcluir
  5. me identifique bastante, adoro seu jeito bjs

    ResponderExcluir
  6. Adorei Bru, eu tbm já escrevi sobre isso e é verdade qdo se é criança oq mas a gente quer é crescer ai qdo tá chegando bate o medo.
    E eu mesmo naum me considero adulta e olha q tenho 21 hiihi adoro rir das piadas lesas e ser um pouco, e eu disse só um pouco retardada mesmo XD

    ResponderExcluir
  7. Não consegui deixar de ler cada palavra sua, olha que estou morrendo de sono xD sabe, esse seu texto é exatamente o que estou sentindo e o exemplo do primeiro dia de aula é tão perfeito para tudo isso, também tenho medo, acho que todos nós temos medo do desconhecido, do novo, mas basta seguir em frente e ver que as coisas nem são tão feias o quanto você pensava (as vezes nem são feias xD) enfim, se você estiver lendo esse comentario e ele não estiver fazendo o minimo sentindo me dê um desconto, é o sono n___n obrigado por comentar la no blog. beijos:*

    ResponderExcluir
  8. E quando a gente percebe,a gente cresceu,mudou,se tranformou...é tudo tão,de repente e "you can never come back".
    E então,fica a saudade...
    Seus posts são tão...perfeitos *-*
    :*

    ResponderExcluir

What do you think?